C CASA QUIETA: Julho 2008

sábado, julho 26, 2008

DESCANSO ?


Mais um verão e com muito tempo,para mim e para todos,o descanso só será em meados de Setembro.
O cansaço de todos os dias,e os dias todos é notório,nesta estrada que me reencaminha para um céu cinzento que é um espelho de um rio que só teima em correr num sentido.
Está a começar mais um dia,e pronto para o que ai vem?
Só mais tarde o poderei dizer.Continuo por aqui...

terça-feira, julho 01, 2008

ATÉ QUANDO ?



Desisti do tempo e das coisas,as poucas armas que tinha,já não coseguem furar a dor deste mundo.Vou me resguardar no canto do silêncio e do escuro,vou me ausentar,não consigo olhar nos olhos de quem chora,por ter perdido um pouco de mim.
Sei de um rio que leva na corrente,alguém como eu,vou construir um barco de madeira,rasgada pelo tempo,cheia de nódulos escuros,que igualam o tempo e esta vida madrasta,de um poeta louco.
Abandono tudo,até de mim,que tenho pena,das forças que nunca tive para mim e para ti,aliás para este peso,que a vida me carrega em lágrimas de dor,e de sufoco,rasgo a minha pele,e arranco o batimento deste coração que teima em bater,todos os dias,até quando?
De todos os mundos que oiço,de todas as vozes que teimam em falar comigo todos os dias,mesmo quando fecho os olhos e adormeço,em pranto,por uma voz que me aconchegue no ouvido,os ruidos,do nada e de nada.
Corro atrás do tempo,para que ele espere por mim,para que se lembre que estou aqui,mais ninguém ouve este mar,com tantas tempestades da vida,em que muitos dos meus barcos naufragaram,noutros tempos em que conseguia salvar as vozes que nunca me abandonaram.
Vou ao encontro do meu aconchego,no meu canto escuro,vou aguardar,que os olhos pesados e cansados se deslizem devagar ao encontro da escuridão.