C CASA QUIETA: Fevereiro 2008

segunda-feira, fevereiro 25, 2008

LIDIA


Houve um dia em que descobri que poderia existir alguém como tu,a forma com transportas as tuas palavras para o exterior,fazem me recuar no tempo em que outrora estava perdido por um caminho que me levaria ao futuro mas que em tempos lhe perdi o rasto,hoje finalmente consegui voltar a pisar o chão que me levou até ti.Para ti Lidia que me preenches todos os dias,que me acordas de manhã,para ti que me ouves e tocas nas letras que por vezes mais ninguém adivinha ou não compreende,que outrora sabia soletrar e que o tempo me roubou e apagou da memória de um nobre vagabundo,que procurava nas ruas e olhava para o universo na esperança de que um dia poderia voltar a sorrir.Há um passo que nos separa a distância,mas nada nos impede de sermos felizes.Bjs

sábado, fevereiro 23, 2008

CAMINHO


Há uma linha que me separa do resto do mundo e de outras vivências,de tudo aquilo que gostaria de ter ou ser,um dia apagarei esse linha que separa todo este lado de revolta que um dia quero libertar,mereço como qualquer ser humano que me deixem por breves instantes só,não que queira que tenham pena,mas que deixem um poeta escrever o que lhe vai na alma,a vida já me roubou muitas pessoas que poderiam ficar mais algum tempo,o tempo teve a seu cargo lugares que me transportaram para o lado de lá,deixei de acreditar nas pessoas e passei a acreditar mais em mim,tenho essa capacidade de ser melhor do que qualquer um, mas nunca abaixo do nada nem de ninguém,este caminho poderá não fazer sentido,mas certamente só a mim me diz respeito,poderei continuar a sofrer por ter ou não ter,poderei continuar confuso com este mundo,o porquê de só a mim e porque não a quem, merece que a vida e as pessoas tropeçem a seus pés e só vejam,o escuro,a afonia,Cada vez mais me fecho num canto que criei num ninho que um dia espero voltar a partilhar contigo um espaço que foi nosso em tempos,mas que um dia irá regressar.Continuo a amar-te.Bjs

segunda-feira, fevereiro 04, 2008

NA VOLTA

Nesta minha ausência reflecti muito,a vida deu voltas e mais voltas e por vezes pareceu querer abandonar-me,o sentido das coisas,as palavras enroladas numa boca sofrida quebrada pelo destino,quiz que hoje voltasse nos encontros e desencontros das ruas,dos horizontes,do azul do mar,da brisa da manhã.Há sempre uma razão para estar aqui,há sempre uma razão para a alegria a dor e a escuridão.O destino de um só ou de dois,apertos escondidos no tempo ou por descobrir,para todos aqueles que me amam e que eu continuarei a amar.Prometo estar de volta agora com maior frequência.Um muito obrigado para todos aqueles que marcam os meus dias.