C CASA QUIETA: Outubro 2007

terça-feira, outubro 30, 2007

TUDO E NADA


Se a minha vida já não fazia sentido,agora tenho mais razões para não a aceitar.Na penumbra destes dias agora cada vez mais lentos e cinzentos,não consigo encontrar quem era e quem soube ser,não há caminho que resista a tanta loucura,faz falta uma luz que os dias que estão para chegar tendem a encobrir seja o que for.Aqui e ali falta tudo e faltam todos.Aqui falto eu,ali faltas tu,amanhã falta o todo e o nada,o sossego e o ruido,a voz e o toque,a felicidade e a saudade.Que faço por aqui,se não sei para onde vou??

terça-feira, outubro 16, 2007

A LUTA


Há dias em que me sinto como se estivesse aqui só por estar,por ninguém me obrigar a nada ou a que nada me obrigue,descobri o verdadeiro sentido da palavra nada.Penso em tudo até no infinito,no nada por ter e por não ter.Continua difícil estes dias em que falta tudo ou alguém a meu lado,que descubra que o entrelaçar das mãos,não seja só para apoiar uns dedos cansados de segurar e secar as lágrimas de um rosto novo,mas cansado dos raios de um sol tempestuoso,de sentir a brisa gelada da manhã,cada vez que sai e que pensa que já não volta,das mãos que tocam um rosto já outrora seu mas que agora relembra com saudade o toque que desapareceu há tanto tempo atrás.Sozinho num mundo,em que as pedras da calçada agarram e puxam para baixo,e gritam palavras de ordem,em que não as consigo,fazer calar.Dou por mim a vaguear nos meus pensamentos em ruas estreitas,em que as suas paredes já foram muros de lamentações e de pecados de corpos iguais aos meus,de almas unidas pela dor e desatinos,de pessoas que já não estão ou não querem estar,é assim o meu mundo,reconheço que o que mais me falta é o amor que tarda em chegar mas que um dia espero encontrar ou reencontrar.Para a LENA que continua a sua luta,todos os dias a todas as horas,cada vez mais me orgulho em te ter como amiga.Um Beijo enorme para a minha DINA que não aguentou a sua luta,mas que lutou até ao fim,onde quer que estejas sei que estás a ler.BEIJOS

domingo, outubro 14, 2007

PARA O MEU VAZIO


Só até que ponto?quero ficar assim nesta casa,em que as paredes me escondem as lágrimas,em que o vento passa pelas várias camadas da minha vida,sem sentido,sem mim, sem a alma adormecida e envelhecida,pelo tempo,pelos destinos frios e nus,pelo que nunca consegui lutar,por tudo aquilo que me enche de raiva,por já não conseguir ser o mesmo,por esta parede verde que me enche os olhos de esperança,não sei do quê?por me faltar algo que me devolva a vontade de voltar a encarnar em mim,um ser que agora jaz mendigo e velho de mim,farto de caminhar nesta estrada que é a vida,das pessoas dos encontros e desencontros farto de tudo e do nada,farto de ser mendigo e de mendigar por vielas e ruas nuas sem ninguém que me ajude a reencontrar o sorriso que outrora foi e tarda em não querer voltar.Louco por cada vez mais me sentir só e doido com tudo,com isto,com aquilo,farto do nada,farto da morte que teima em levar quem mais amo,desiludido com quem caminha a meu lado até ao fim do mundo,sem me conseguir amparar e dar a mão,estupidamente vagabundo de um corpo frio e pesado das dores que a vida dá,as dores de quem partiu e continua cá dentro,só e cada vez mais só.Já não procuro ninguém,já não falo,porque quando o faço,as palavras voltam para dentro,sem que ninguém as agarre as tenha lido ou apagado.Há um vazio que faz doer o coração,e a cabeça tende a separar-se deste corpo mórbido e cinzento.Quero ir para um fim de um mundo qualquer,que espero quando lá chegar,encontre um vazio preenchido com alguém,que és tu.Bjs

sábado, outubro 06, 2007

PARA UM AMOR ETERNO



Em especial para a minha avó,que me deixou um vazio imenso,e tantas saudades,para ti onde quer que estejas, sei que vais adorar.Beijos